Skip to content

Dia dos Cuidados Paliativos é inserido no Calendário Oficial de Sorocaba

 

  • Assistência visa melhorar a qualidade de vida, diante de uma doença que ameace a vida. Projeto de Lei Municipal destaca a importância do tema.

Paliar deriva do latim Pallium, que significa proteção como uma forma de cuidar. Não há dúvidas de que é difícil manter a paz e a tranquilidade quando se passa por uma fase de adoecimento próprio ou de alguém próximo. O dia mundial que lembra o tema foi instituído no mês de outubro e, agora, também faz parte do Calendário Oficial de Sorocaba, conforme publicado no Jornal do Município, no último dia 4/11.

Ainda há desconhecimento sobre esse tipo de tratamento, mesmo com instituições médicas de todas as partes do mundo lembrando sobre os direitos aos cuidados paliativos. O recente PL (Projeto de Lei) 289/2019, de autoria do vereador Fernando Dini, incentiva a divulgação de informação a respeito em todo segundo sábado do mês de outubro. “O cuidado paliativo tem como principal mote cuidar do sofrimento da pessoa até a fase terminal. Então, o Legislativo quer mostrar a importância desse assunto que vem se despontando de maneira fabulosa pelo Brasil e Sorocaba está no expoente do reconhecimento dos cuidados paliativos”, declarou o vereador.

Há mais de 25 anos, o Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS) disponibiliza atendimento clínico humanizado e exclusivo para auxiliar pacientes e familiares, buscando amenizar a dor e o sofrimento durante o período da doença. Pela definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), os cuidados paliativos consistem na assistência que objetiva a melhoria da qualidade de vida, diante de uma enfermidade que ameace a vida, como o câncer.

Segundo a médica oncologista clínica do IOS, Dra. Christiane Pires, o objetivo de amenizar a dor e o sofrimento abrange as origens física, psicológica, social ou espiritual da pessoa. “Pode acontecer durante todo o processo da doença. Inicialmente, junto com o tratamento específico, como, por exemplo, a quimioterapia, no caso de pacientes com câncer. Na evolução da doença, o foco e os objetivos dos cuidados paliativos podem se modificar”, orienta.

A médica explica que o tratamento é desenvolvido de acordo com a demanda do paciente, podendo ter acompanhamento semanal ou mensal. “A frequência é para controlar os sintomas, podendo ser feito em esquema ambulatorial e, quando está em estado avançado, muitas vezes, até domiciliar. Depende também do desejo do paciente”, ressalta Dra. Christiane.

O Ministério da Saúde publicou, no final de 2018, uma resolução que normatiza a oferta de cuidados paliativos, como parte dos cuidados continuados integrados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), que oferecia o tratamento sem normas definidas. “O objetivo é garantir que essa prática seja ofertada aos pacientes desde o diagnóstico da doença até a fase terminal, permitindo mais qualidade de vida àqueles cuja doença não tem cura”, explica a médica oncologista clínica do IOS, Dra. Luciana Buttros.

A médica entende que os cuidados paliativos devem ser oferecidos o mais rapidamente possível, em conjunto com o início do tratamento da doença. “Esses englobam a promoção do alívio da dor (com uso de analgésicos) e de outros sintomas físicos, do sofrimento psicossocial, com apoio psicológico e incluindo o cuidado apropriado para familiares e cuidadores, para lidar com a doença do paciente e o luto”, ressalta.

Cuidados paliativos oncológicos

No Instituto de Oncologia de Sorocaba, todos os médicos atuam em cuidados paliativos, sendo que as Dras. Luciana Buttros, Gabriela Sales, Christiane Pires e Letícia de Andrade Nader possuem pós-graduação na área. Todos acompanham o paciente de forma individualizada, porém, na ausência deste profissional, todo o corpo médico está à disposição. Sempre há um médico de plantão, com telefone acessível todos os dias.

Os médicos estão disponíveis para atender nos casos de eventuais efeitos adversos e métodos que possam evitá-los. Eles analisam medidas que evitam problemas decorrentes das medicações utilizadas na prescrição médica.

Também é oferecido acompanhamento de psico-oncologista, cuidando também da saúde psicológica dos pacientes e de seus familiares, desde o início do tratamento. Além disso, há atendimento por nutricionista especialista em oncologia e alimentação adequada para prevenir e enfrentar o tratamento e a doença. Possíveis situações complexas são apresentadas à equipe multidisciplinar médica do IOS, que avalia e discute a circunstância, com base em estudos de renomadas instituições nacionais e internacionais

 

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on print
Preencha o formulário abaixo e nossa equipe irá entrar em contato com você!