Skip to content

Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS) conscientiza sobre combate ao câncer de pele que é o mais comum no país

  • Christiane Pires, médica oncologista clínica do Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), fala sobre a importância dos hábitos preventivos à doença e dá dicas práticas.

 

O movimento “Dezembro Laranja” é uma iniciativa organizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que busca conscientizar a população sobre os sinais do câncer de pele e a importância da prevenção. Segundo o Instituto Oncoguia, o câncer de pele é tipo mais comum no Brasil.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) estimam que, a cada ano do triênio 2020/2022, serão diagnosticados 185.380 novos casos de câncer de pele. De acordo com Dra. Christiane Pires, médica oncologista clínica do Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), esse tipo de câncer já representa cerca de 30% de todos os tumores malignos existentes.

O câncer de pele pode ser dividido em não melanoma e melanoma. O primeiro é o mais comum e menos agressivo, tendo altas chances de cura, quando descoberto em estágios iniciais. Por sua vez, o do tipo melanoma é o tipo mais agressivo pela sua alta possibilidade de disseminar para outros órgãos. O histórico familiar também é um grande fator de risco para seu surgimento.

A doença surge quando as células que compõem a nossa pele, maior órgão do corpo humano, crescem de maneira anormal e desordenada. Isso está altamente relacionado a longos períodos de exposição solar e, conforme aponta a médica oncologista do IOS, os métodos de prevenção mais indicados são:

  • Evitar a exposição solar das 9h às 15h;
  • Não tomar sol em excesso;
  • Usar sempre o protetor solar 30 minutos antes da exposição e reaplicar a cada duas horas;
  • Usar filtro solar próprio para os lábios;
  • Usar proteções, como bonés, chapéus e óculos escuros;
  • Procurar locais com sombra.

Diferentemente dos métodos de prevenção, os sintomas apresentados pelos dois tipos de câncer de pele são diferentes “No caso do não melanoma, geralmente costuma aparecer manchas na pele que coçam, ardem, escamam ou até sangram, além de feridas que não cicatrizam em até quatro semanas. No tipo melanoma, surgem pintas escuras, de bordas irregulares, ou pintas e sinais de pele que já existiam podem mudar de tamanho, forma e cor”, detalha Dra. Christiane.

Caso a pessoa apresente algum desse sintomas, fala a especialista, é indicado procurar um especialista para a avaliação, que normalmente é feita pelo dermatologista, por meio de exame clínico, dermatoscopia e, se necessário, biopsia para diagnóstico.

Dra. Christiane comenta, ainda, sobre a importância do diagnóstico precoce da doença. “Quanto antes for descoberto, mais rápido será o início do tratamento e as chances de cura são bem maiores. O tratamento geralmente é cirúrgico e, no caso do tipo melanoma, pode ser necessária imunoterapia, terapia alvo, quimioterapia ou radioterapia, dependendo do estágio do tumor”.

Mais informações podem ser encontradas no site: www.oncologiasorocaba.com.br. O Instituto de Oncologia de Sorocaba está localizado no Centro de Medicina e Saúde, que fica na Av. Comendador Pereira Inácio, 950, Térreo, Jd. Vergueiro, telefone: (15) 3334-3434.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on print
Preencha o formulário abaixo e nossa equipe irá entrar em contato com você!