Skip to content

Nutrição em Oncologia – Sal em excesso faz mal?

Recentemente o governo brasileiro iniciou uma campanha para a redução progressiva do sal na alimentação diária do brasileiro. Muita gente reclamou, e muitos não estão nem ligando para estas orientações.
É claro, e muito bem conhecido, que a dieta rica em sal é danosa para a pressão arterial e coração. E isto significa falar de todas as doenças que, atualmente, são as mais letais para o ser humano: as doenças cardiovasculares.
Ocorre que o sal também está implicado na gênese de certos tipos de câncer, o que, então, gera preocupação para a segunda causa de morte para o homem ocidental: o câncer. Há evidências de que a ingestão exagerada de comidas salgadas ou de alimentos preservados em sal (os defumados, os salgados, os secos) poderiam aumentar o risco de câncer de estômago. E estas evidências mais importantes vêm de países com alto consumo de sal na dieta: Reino Unido e Japão.

No Reino Unido se descreve que 25% de todos os pacientes com câncer de estômago ingeriam mais de 6 gramas de sal por dia(*). Uma revisão sobre o assunto (câncer do estômago) revelou que as pessoas que ingerem maiores quantidades de sal diário têm um risco de cerca de 70% maior que aqueles que ingerem pequenas porções diárias de sal.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), em nova orientação, indica uma ingestão diária menor que 5 gramas de sal, o que equivale a uma colher das de chá, rasa, ao dia, ou 5 sachês de sal (de 1 grama cada), ao dia(**).

 

 

(*)Parkin, M., et al., The fraction of cancer attributable to lifestyle and environmental factors in the UK in 2010. BJC 2011. 105, Supp. 2, 6 December 2011.
(**) Ministério da Saúde do Brasil.

Dr. Gilson Delgado

Diretor do IOS.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on print
Preencha o formulário abaixo e nossa equipe irá entrar em contato com você!